Estudantes de medicina do DF criam Associação

Primeira reunião da Associação dos Estudantes de Medicina do DF

Com o objetivo de expor suas opiniões e defender a futura profissão, estudantes das quatro faculdades de Medicina do Distrito Federal se uniram e fundaram, no dia 26 de abril, a Associação dos Estudantes de Medicina do Distrito Federal (Aemed-DF). Primeira a ser criada no Brasil, a Associação no DF quer mobilizar os estudantes para as obrigações sociais, éticas, morais e políticas, assim como promover atividades de caráter científico, sociocultural e recreativo-desportivo. “Queremos buscar a união das Ligas já existentes. Mas ainda é preciso mudar a cabeça e o pensamento dos colegas, para que possamos colher os frutos das nossas lutas lá na frente”, explicou Juracy Barbosa, que está à frente do grupo idealizador da nova Aemed-DF. Para Glória Maria Andrade, da Diretoria Científica e de Educação Continuada da AMBr, “faltava um órgão que congregasse os estudantes de Medicina aqui no DF”. Ela acrescentou que “só as Ligas, apesar do grande apoio que têm das faculdades, não conseguem atingir todos os estudantes, principalmente quando eles chegam ao internato”.

A proposta de criação da Associação surgiu durante o II Encontro dos Alunos de Medicina do DF, promovido pela AMBr em março, e foi endossada desde o primeiro momento pelo presidente da instituição, Lairson Vilar Rabelo. “Essa iniciativa é de suma importância e deve ser divulgada para os estudantes de outros estados, porque todos devem ter consciência, se envolver e lutar pela classe. A omissão pode extinguir a categoria”, afirma. Temas polêmicos, segundo Juracy Barbosa, vão entrar na pauta de discussões da Aemed-DF, como a aprovação do Ato Médico no Senado Federal e os baixos valores repassados pelos planos de saúde. Os alunos também tentarão, acrescentou, impedir o exercício da Medicina por quem não estudou para esta profissão. Ainda de acordo com o idealizador da Associação, a postura do aluno de Medicina deve obedecer ao Código de Ética do Estudante de Medicina, dizer ‘não’ aos trotes violentos, adotando medidas que transmitam “a alma da profissão, no sentido de promover a saúde e lembrar que os atos dos estudantes refletem diretamente na imagem profissional dele”.

Como forma de incentivar a Aemed-DF, o presidente da AMBr cedeu aos estudantes uma sala na sede da Associação, para que eles possam se reunir. “Esta é uma oportunidade ímpar que nós estamos abraçando. Agora, cabe aos diretores da nova associação incentivar a Abramer (Associação Brasiliense de Médicos Residentes) a vir junto com vocês”, disse Lairson Vilar Rabelo. Juracy Barbosa lembrou o que disse o deputado Ronaldo Caiado (DEM-GO) durante o II Encontro dos Alunos de Medicina do DF, e que deve ser adaptado à nova Associação: “Sem a mobilização, os projetos não avançam no Congresso, onde a maior bancada é a de parlamentares médicos, mas eles ainda não se sentem comprometidos com a classe. Se ninguém alavancar, não anda. Em ano eleitoral, esse comprometimento fica ainda mais difícil”.