Número de transplantes sobe 16,4%

O número de transplantes no Brasil aumentou 16,4% no primeiro semestre deste ano. O país também teve 17% a mais de doadores de órgãos, segundo o Ministério da Saúde.

Apesar dos avanços, dados da Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos revelam que a situação entre os estados ainda é muito desigual. No Rio, a rotina do economista José Roberto Dantas inclui quatro sessões semanais de hemodiálise. Ele aguarda por um transplante de rins.

Na mesma situação estão cerca de 3.800 pessoas no estado. Muitos estão perdendo a esperança porque o número de doadores no Rio caiu — de 4,8 para 3,6 doadores por milhão de habitante. Em outros nove estados também houve redução: Acre, Bahia, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Pernambuco, Rio Grande do Sul e Sergipe. A região Norte teve apenas quatro doadores de janeiro e junho: um no Acre e três no Pará.

Houve aumento de doadores em dez estados (São Paulo, Espírito Santo, Ceará, Paraná, Paraíba, Minas Geais, Rio Grande do Norte, Goiás, Piauí e Alagoas) e no Distrito Federal. O melhor índice foi registrado em São Paulo: 22,5 doadores por milhão de habitantes. O Ministério da Saúde diz que está investindo em treinamento, principalmente nos estados que realizam poucas cirurgias desse tipo.