Planos de saúde com franquia

As operadoras de planos de saúde se articulam para propor uma mudança de regras ao governo. Estudam a viabilidade de vender planos em que o cliente pague uma franquia, como nos seguros de carro. A ideia começa a ser discutida no âmbito do Instituto de Estudos da Saúde Suplementar  (IESS), mantido por empresas do setor. Mostrando-se viável, será levada ao governo como alternativa aos planos existentes.

Para o superintendente-executivo do IESS, o ex-ministro da Previdência José Cechin, um plano com franquia permitiria baratear as mensalidades. “Neste sistema, o usuário deposita um certo valor de franquia, que vai sendo abatido a cada consulta ou exame, por exemplo. E, quando precisa de um serviço que ultrapasse o valor, o plano paga”, explica Cechin.

Outra opção em estudo para baratear mensalidades é incluir no plano o médico de família.

O foco das eventuais mudanças são os planos individuais, que hoje representam 21% do total e têm mais de 9 milhões de beneficiários. Dos contratos totais no setor, quase 80% foram feitos a partir de 1999, regulados pela nova lei. Como tudo que envolve planos de saúde gera polêmica, o IESS quer fomentar o debate público. Depois, uma proposta poderia ser levada à ANS para dali ser um projeto de lei.