Formados em medicina terão que servir às Forças Armadas

O governo conseguiu aprovar no final de agosto (31) na Comissão de Relações Exteriores do Senado, um projeto que praticamente torna obrigatória a prestação de serviço militar de formandos em medicina, veterinária, farmácia e odontologia. Estes estudantes, que foram dispensados das Forças Armadas quando completaram 18 anos, servirão nas regiões mais pobres e distantes, como interior da Amazônia.

Outra proposta, também aprovada, concede um bônus para os recém-formados nessas quatro áreas que decidirem fazer estágio em regiões inóspitas. Os dois textos seguem para a sanção do presidente Lula.

A legislação que trata do serviço militar hoje é ambígua sobre convocação dos dispensados.