Valorização do médico

O Conselho Federal de Medicina (CFM) e os Conselhos Regionais de Medicina (CRMs) lançaram a campanha publicitária que marca as comemorações pelo Dia do Médico – 18 de outubro. A data será lembrada em várias ações na mídia, como anúncios em outdoors, busdoors e em revistas e jornais de grande circulação. Um vídeo institucional também será exibido nos intervalos de programas jornalísticos da TV Globo. Além dessas inserções, foram produzidos cartazes, folders e postais para distribuição em eventos e pontos de grande circulação.

O tema deste ano é a valorização do exercício da Medicina. As peças foram desenvolvidas de forma a lembrar a importância do respeito, do reconhecimento e da oferta de condições de trabalho ao médico, para que ele possa cumprir seu papel. A mensagem foi abraçada com entusiasmo pela rede de conselhos. Vários estados articularam inserções das peças que da campanha em canais das mídias local e regional. Outras entidades – como associações médicas, sociedades de especialidades e sindicatos médicos – também decidiram apoiar o CFM e os CRMs na iniciativa, e garantiram publicação do anúncio elaborado especificamente para o tema em seus jornais, revistas e sites.

Como parte das comemorações,  os conselhos de medicina e representantes de outras entidades médicas – Associação Médica Brasileira (AMB) e Federação Nacional dos Médicos (Fenam) – organizam em Brasília, para o dia 26 de outubro, uma Mobilização Nacional pela Valorização da Assistência em Saúde. Os participantes pretendem realizar atos no Ministério da Saúde e no Congresso Nacional para chamar a atenção dos gestores e dos parlamentares para os problemas que afligem o setor e causam repercussão negativa no trabalho médico.

Em alguns Estados, nos dias que antecedem esta Mobilização, também serão realizadas atividades com este objetivo, o que agregará caráter político e estratégico ao Dia do Médico. “A saúde é hoje a principal preocupação do brasileiro, conforme revelam diversas pesquisas de opinião. Médicos e pacientes conhecem esse problema de perto. As lideranças e entidades representativas de mais de 350 mil médicos de todo o Brasil alertam para a necessidade de se atacar problemas estruturais que, sem o devido enfrentamento, podem colocar em risco a vida de milhões de pessoas”, afirma o presidente do CFM, Roberto Luiz d’Avila, ao lembrar a importância das atividades.

Fonte: CFM