Avaliação de mamógrafos do SUS

Os 1.514 mamógrafos que realizam exames de mama pelo Sistema Único de Saúde (SUS), dos quais 85% estão em funcionamento, oferecem atendimento avaliado como bom ou muito bom por 91% das brasileiras. O diagnóstico é resultado de auditoria e pesquisa de satisfação, ambas inéditas, realizadas pelo Ministério da Saúde em todos os 1.399 estabelecimentos de saúde que fazem mamografias no País.

A vistoria, coordenada pelo Departamento Nacional de Auditoria do SUS (Denasus), foi adotada como parte do Plano Nacional de Prevenção, Diagnóstico e Tratamento do Câncer de Colo de Útero e de Mama, lançado em março. Com investimentos do Ministério da Saúde de R$ 4,5 bilhões até 2014, o programa busca reduzir a mortalidade entre os dois tipos de cânceres mais comuns entre as mulheres.

A auditoria apontou que o número de mamógrafos existentes no SUS são quase duas vezes mais que o necessário para cobrir toda a população brasileira, conforme parâmetro do Instituto Nacional do Câncer (Inca) de um aparelho para cada 240 mil habitantes.

  Ações – apesar do resultado positivo, a auditoria revelou que a distribuição geográfica – cerca de 44% dos mamógrafos estão no Sudeste – e o baixo nível de produtividade são entraves à plena oferta do exame. Entre os 15% sem uso, 111 não prestavam atendimento, 85 apresentavam defeito e 27 estavam ainda na embalagem. Além disso, os auditores identificaram que 28% dos estabelecimentos do SUS não mantinham dados atualizados junto ao Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES).

Para corrigir distorções, o Ministério, em parceria com estados e municípios, instalará mamógrafos e criará unidades móveis, que atenderão cidades menores de maneira itinerante. Outras estratégias a serem adotadas serão a compra de pacotes de fornecimento de insumos vinculados à assistência técnica para apoiar, sobretudo, os estados do Norte e Nordeste e a capacitação de 25 mil técnicos em radiologia até 2015 para a operação dos equipamentos.

Fonte: SECOM/PR