Diretoria da Aperj e Conselho Fiscal são eleitos para o novo triênio

EleiçãoAPERJ-36

Associados de diversas gerações elegeram a Diretoria Executiva e o Conselho Fiscal da Associação Psiquiátrica do Estado do Rio de Janeiro (APERJ), para o novo triênio 2014/2017. Um dia intenso de prestação de contas e apresentação do Balanço Patrimonial e Econômico aconteceu simultaneamente ao pleito, no dia 17 de janeiro, na sede da Associação, no Rio de Janeiro.

A mesa e os trabalhos foram presididos pela Comissão Eleitoral formada pelos Doutores Elizabeth Nunes Vallier, Jayme Bisker e Odoroilton Larroca Quinto e pelo Conselho composto por Amaury da Cruz Junior, Heloisa Maria Giserman, José Flávio Bergamo, Rogéria Lobianco Ferreira Travincas e Ronald Sérgio Mota e Souza. “A APERJ tem boa saúde financeira. As contas da última gestão foram aprovadas por unanimidade”, afirmou Dr. Larroca.

A Dra. Fátima Vasconcellos, presidente eleita da APERJ, tomou posse imediatamente após a contagem de votos pela Comissão Eleitoral. “Permaneceremos firmes sob o compromisso com a ética, com a defesa de uma política pública eficaz e pela qualidade de serviço para os pacientes, que são a razão de nossa intervenção e ação como profissionais”, disse entusiasmada.

A presidente da APERJ fez um balanço sobre os três últimos anos à frente da Diretoria. Na sua avaliação, o sucesso obtido foi em razão da aproximação dos psiquiatras em torno do crescimento pessoal e profissional, promovendo trocas e experiências nas mais diversas áreas. “A Associação também teve uma ação importante e firme, junto com seus associados, na difusão do conhecimento sobre doenças e saúde mental e seus tratamentos e, sobretudo, indicando locais em cada cidade para seu tratamento adequado”.

Segundo Dra. Fátima Vasconcellos, a APERJ continuará exercendo seu papel de reunir colegas pela defesa da melhor prática clínica através da discussão dos mais novos conceitos e tratamentos possíveis. “Nosso objetivo é zelar pela prática médica. Para isso, fortaleceremos os investimentos em Programas de Ação Continuada e na difusão de informação veiculada na mídia, visando a diminuição do estigma da doença mental”, acrescentou.

Reflexo do trabalho – Como a Diretoria da APERJ sempre esteve envolvida com a difusão de conhecimento no campo da psiquiatria, a eleição, mesmo como chapa única, reflete diretamente nas estratégias traçadas antecipadamente, a fim de garantir o melhor para o associado. Além da participação em eventos com outras federadas da ABP, a APERJ realizou outras importantes ações, como a vinda de diversos psiquiatras em conjunto com outros Centros de Estudos para o Congresso da APERJ e o Curso de Atualização em Psiquiatria.

Visionário – Já estão programados, além da Jornada da APERJ, em setembro, vários eventos que serão informados com antecedência. “Pedimos encarecidamente aos associados que, na eventualidade de mudança de e-mail ou de outros dados, nos comuniquem imediatamente para que não hajam problemas na divulgação”, solicitou a presidente.

Durante a eleição, os elogios à gestão da APERJ não faltaram. “A última Diretoria correspondeu às expectativas da classe, porque tem esse perfil associativo típico. A Dra. Fátima Vasconcellos, com sua equipe, consegue fazer isso com muita vitalidade. Nossa Associação tem um perfil eminentemente democrático. O momento da psiquiatria é muito difícil do ponto de vista profissional. É hora de firmarmos nossa posição”, comentou Dr. Talvane de Moraes, psiquiatra fundador da ABP e recém-empossado Titular Colaborador do Colégio Brasileiro de Cirurgiões.

Para saber mais – A APERJ é uma das quatro federadas da ABP no Estado do Rio de Janeiro. A Associação congrega cerca de 500 psiquiatras associados de todo o Estado. Os focos principais da Associação, em função de suas características e de seus associados, são uma forte ação no estudo e nos temas relacionados à Psiquiatria Forense, com assuntos relacionados à dependência química e aos transtornos de uso de substâncias, em particular, as questões relacionadas aos abusos de drogas pela população. A APERJ investe, ainda, na saúde mental na  infância e adolescência, nos  transtornos alimentares,  na discussão da  regulamentação das Perícias Psiquiátricas em função da demanda criada pelos associados. A Associação promove, além disso, a discussão sobre a política oficial de saúde mental, em razão da desassistência na qual se encontra grande parcela da população carioca.