Poucas mulheres sabem: Dor intensificada no período menstrual pode sinalizar um problema grave

endometriose

“Endometriose atinge cerca de 10% das Brasileiras”, diz o médico Frederico Corrêa.

A cena é comum: As dores intensificadas em razão da cólica, fazem com que muitas mulheres lancem mão de medicamentos para conter o desconforto. O que pouca gente sabe, é que as dores podem ser decorrentes da endometriose,  doença que acomete cerca de 10% das brasileiras.  De acordo com o diretor do Centro de Excelência em Endometriose, em Brasília, Frederico Corrêa, os principais sintomas são cólicas menstruais intensas, dor nas relações sexuais, infertilidade e alterações do funcionamento intestinal. A causa da endometriose ainda permanece desconhecida. “Existem teorias que tentam explicar o aparecimento da doença como a da menstruação retrógrada, que reflui pelas trompas levando o sangue junto com o tecido endometrial para a cavidade abdominal, permitindo, então, o implante deste tecido e o desenvolvimento da endometriose. Certamente alterações genéticas e imunológicas são fatores importantes para o surgimento desta doença”, esclarece o médico ginecologista.

Sem frescuras – Quem tem endometriose passa por dores constantes, por isso, a importância da visita periódica ao médico. Acredita-se que 6 milhões de mulheres no Brasil tenham endometriose, e muitas delas, desconhecem o fator causador das dores intensificadas no período menstrual. “Cólicas fortes que interferem com a rotina da mulher e onde há necessidade do uso de medicações analgésicas e anti-inflamatórias e de medicação injetável, devem ser melhor investigadas”, afirma Frederico Corrêa.

Segundo Dr. Frederico, não existe prevenção primária para o surgimento da endometriose. O que se deve buscar é um diagnóstico precoce para que as mulheres com endometriose possam ser tratadas de forma adequada e orientadas sobre o futuro reprodutivo. “O diagnóstico deve ser baseado na história clínica, nos achados do exame clínico ginecológico, e em exames de imagem como a ultrassonografia transvaginal especializada para pesquisa de endometriose e a Ressonância Magnética da Pelve, diz.

O tratamento medicamentoso, segundo Dr. Frederico, visa e redução ou remissão total dos sintomas de dor. Mas não há tratamento clinico com medicamento que consiga reduzir ou extinguir as lesões de endometriose. “Em geral são utilizados tratamentos hormonais com anticoncepcionais orais ou injetáveis. Outros hormônios também podem ser utilizados”. Já o tratamento cirúrgico é indicado nos casos em que o tratamento com medicação não consegue diminuir os sintomas, nos casos de lesões de endometriose graves com comprometimento importante dos ovários, intestino, bexiga ou ureter. O tratamento cirúrgico também pode ser indicado em casos de infertilidade a depender de outros fatores que devem ser avaliados.