Campanha vacinação HPV

HPV_vacinaçãoA Campanha Nacional de Vacinação contra o HPV começa hoje, (10/3) em todo o país.
Vários estados já tinham incorporado na nos seus calendários de vacinação das meninas de 11 a 13 anos, um deles o Distrito Federal.
A campanha realiza em 2013 pela Secretaria de Saúde do DF foi reconhecida como uma experiência de sucesso pelo Ministério da Saúde, que resolveu torná-la modelo para o resto do país.
Para 2014 a meta é imunizar 80% do público alvo, que representa 64,8 mil garotas.
O HPV é a principal causa do câncer de colo do útero, que mata cerca de 90 mulheres por ano em Brasília. Para garantir a eficácia da vacina, são necessárias três doses, com intervalo de 60 e 180 dias após a primeira aplicação. O calendário de vacinação foi organizado de acordo com o calendário escolar, das escolas públicas e privadas.
A Federação Brasileira de Associações de Ginecologia e Obstetrícia divulgou uma nota oficial sobre a campanha de vacinação.

Posicionamento Febrasgo vacinação HPV

A Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo) é favorável à Campanha Nacional de combate ao HPV, promovida pelo Programa Nacional de Imunização (PNI) do Ministério da Saúde.
A vacina, que a partir deste ano passa a ser incorporada no calendário nacional, previne contra o câncer de colo de útero, o segundo tipo de tumor que mais atinge as mulheres, atrás apenas do câncer de mama.
A partir do dia 10 de março, segunda-feira, a vacina quadrivalente contra os HPV tipos 6-11-16-18 estará disponível nos postos de saúde da rede pública e nas escolas, para meninas de 11 a 13 anos.
Esta vacina apresenta maior benefício em mulheres sem atividade sexual prévia e há comprovação da proteção antiviral por um período acima de seis anos, sendo menos eficiente nas que já iniciaram vida sexual que podem já ser portadoras do vírus.
A vacina contra o HPV deve ser vista no seu real papel da proteção antiviral e do seu potencial risco para o câncer do colo do útero e não como salvo-conduto para a precocidade nas relações sexuais.
O Papiloma Vírus Humano (HPV) é capaz de infectar a pele ou as mucosas e possui mais de 100 tipos. Do total, pelo menos 13 têm potencial para causar câncer. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 291 milhões de mulheres no mundo são portadoras do HPV, sendo que 32% estão infectadas pelos tipos 16, 18 ou ambos. No Brasil, a cada ano, 4 mil pessoas são infectadas por algum tipo do vírus.
Vale lembrar que a vacina contra o HPV não elimina o uso de camisinha nas relações sexuais nem o exame Papanicolau como medida preventiva do câncer do colo de útero.

Etelvino Trindade
Presidente da Febrasgo