Vacinação contra gripe

tomar-vacina-gripeComeçou hoje, 26 de abril, a campanha nacional de vacinação contra gripe promovida pelo Ministério da Saúde.

Para este ano, a previsão é que 49,6 milhões de pessoas integram o grupo prioritário – crianças de seis meses a menores de cinco anos; pessoas com 60 anos ou mais; trabalhadores de saúde; povos indígenas; gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto); população privada de liberdade; funcionários do sistema prisional e pessoas portadoras de doenças crônicas não-transmissíveis ou com outras condições clínicas especiais – devem ser vacinadas até o dia 9 de maio.

Segundo o ministro da Saúde, Arthur Chioro,   “a vacina tem capacidade de reduzir em até 45% o número de internações por pneumonia e cerca de 75% dos óbitos relacionados aos casos de gripe”.

O Ministério da Saúde disponibilizou às secretarias estaduais de saúde 53,5 milhões de doses da vacina, que protege contra os três subtipos do vírus da gripe recomendados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para este ano (A/H1N1; A/H3N2 e influenza B).

Segurança – A gripe durante a gestação ou puerpério pode levar a formas clínicas graves, pneumonia e morte. A Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO), o Comitê Consultivo em Práticas de Imunizações (ACIP), do Centro de Controle de Doenças (CDC), (2011); assim como o Comitê Técnico Assessor em Imunizações (CTAI) do Ministério da Saúde recomendam a vacinação de rotina contra a influenza para todas as mulheres gestantes durante o inverno.

A vacinação contra o vírus influenza em gestantes é uma estratégia eficaz de proteção para a mãe e para o lactente. Segundo a Nilma Neves, presidente da Comissão de Vacinas da Febrasgo, estudo realizado demonstrou que os lactentes de mães vacinadas contra a influenza, apresentaram menos casos da doença (confirmados em laboratório) do que o grupo controle (6 contra 16 casos). A eficácia vacinal foi de 63%.

Segundo a ginecologista, é importante destacar, também, que a vacinação de gestantescontra a influenza é seguraem qualquer idade gestacional. “A experiência pós-comercialização com a vacina influenza sazonal inativada e com a vacina influenza pandêmica (H1N1) 2009 inativada, no Brasil e em outros países, não identificou qualquer risco associado ao uso da vacina em gestantes”, completa.

 

Vacina Influenza 2014 – Segundo recomendação da OMS para a temporada de 2014 do hemisfério sul a vacina influenza é composta por cepas do vírus Myxovirus influenzae (fragmentada e inativada), trivalente, contendo antígenos equivalentes à:

Vírus similar ao vírus influenza A /Califórnia/7/2009 (H1N1) pdm09  Vírus similar ao vírus influenza A/Texas/50/2012 (H3N2)  Vírus similar ao vírus influenza B/Massachusetts/2/2012. Serão disponibilizadas vacinas produzidas pelo Instituto Butantan e pela Sanofi Pasteur (fábrica dos Estados Unidos e na França).

 

Medidas de prevenção – A vacinação contra gripe é uma importante ação de prevenção da gripe, mas não dispensa medidas básicas de proteção. São cuidados simples, como lavar as mãos várias vezes ao dia, cobrir o nariz e a boca ao tossir e espirrar, evitar tocar o rosto e não compartilhar objetos de uso pessoal.

A transmissão da gripe acontece por meio do contato com secreções das vias respiratórias, eliminadas pela pessoa contaminada ao falar, tossir ou espirrar. Também ocorre por meio das mãos e objetos contaminados, quando entram em contato com mucosas (boca, olhos, nariz).

Em caso de síndrome gripal, deve-se procurar um serviço de saúde o mais rápido possível. Também é importante lembrar que, mesmo pessoas vacinadas, ao apresentarem os sintomas da gripe – especialmente as integrantes de grupos mais vulneráveis às complicações – devem procurar, imediatamente, o médico.

Os sintomas da gripe são: febre, tosse ou dor na garganta, além de outros, como dor de cabeça, dor muscular e nas articulações. Já o agravamento pode ser identificado por falta de ar, febre por mais de três dias, piora de sintomas gastrointestinais, dor muscular intensa e prostração.