Grupo Sabin segue ritmo forte de expansão e constrói nova sede

O novo prédio segue padrões internacionais de edifícios sustentáveis financiado pelo FCO

Com um ano marcado pela consolidação das unidades recém-inauguradas em todo o país, o Grupo Sabin, um dos maiores players do setor de saúde no Brasil, se prepara, agora, para inaugurar sua nova sede. A empresa Conbral AS – Construtora Brasília – é a responsável pela execução da obra. Os recursos para investimento são financiados pelo Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO).

O endereço da nova e ampla sede será o Setor de Armazenagem e Abastecimento Norte (SAAN), próximo ao Parque Nacional de Brasília (DF). Com 12.500 metros quadrados de área construída, o prédio comportará o Núcleo Técnico Operacional e as Áreas Administrativas.

O projeto representa um novo marco na história do Sabin, com mais de três décadas de atuação no setor de medicina laboratorial. “Estamos nos preparando para aumentar nossa capacidade de atendimento e análises de exames em cinco vezes nos próximos anos”, revela a vice-presidente do Conselho de Administração do Grupo Sabin e cofundadora, Janete Ribeiro Vaz.

O empreendimento também tem gerado empregos no Distrito Federal. “Durante o período da obra nossa expectativa é abrir mil postos de trabalho, o que corresponde a 1/3 do nosso atual quadro de colaboradores”, afirma Janete.

IMG_2929

Nova sede será no Setor de Armazenagem e Abastecimento Norte (SAAN), próximo ao Parque Nacional de Brasília (DF). Com 12.500 metros quadrados de área construída, o prédio comportará o Núcleo Técnico Operacional e as Áreas Administrativas. Crédito foto: Carlos Eduardo/Luan Comunicação.

Com a mudança de sede, hoje situada no Brasília Shopping, o Grupo Sabin irá ampliar e modernizar o Parque Tecnológico. “A nova estrutura vai contar com as mais atuais tecnologias e soluções do mercado para sustentar o crescimento e a expansão nacional”, afirma a presidente do Conselho de Administração do Grupo Sabin e cofundadora, Sandra Soares Costa.

Entre as novas plataformas de automação laboratorial está a Aptio Automation, que permitirá à empresa dobrar sua capacidade técnica em até cinco anos, podendo chegar a quatro milhões de exames realizados por mês. Esta solução integra mais de 20 equipamentos que farão análise bioquímica, sorológica, hormonal e de coagulação. O Núcleo Técnico Operacional do Sabin também contará com uma esteira Cobas Connection Modules – CCM, que possibilita a automação total das linhas de imunologia e hematologia, além de oferecer eficiência operacional com uma velocidade de até 2 mil tubos por hora. Com estas e outras tecnologias, o laboratório passará a internalizar novos tipos de análises como anatomia patológica, toxicologia, genética e citogenética.

Atualmente, o Grupo mantém operações em oito Estados – Goiás, Bahia, Minas Gerais, Tocantins, Amazonas, Pará, São Paulo e Mato Grosso do Sul – e no Distrito Federal. “Em cada um desses Estados mantemos um Núcleo Técnico Operacional (NTO) para processar as análises das demandas locais. O NTO da unidade-sede, em Brasília, será uma referência e prestará apoio a todas as 170 unidades. Estamos crescendo com a responsabilidade de garantir sempre qualidade e agilidade nos serviços”, declara Lídia Abdalla, Presidente Executiva do Laboratório Sabin.

Edifício sustentável

O projeto da nova sede do Grupo Sabin se candidatará ao selo Green Building pela certificação Leed – Leadership in Energy and Environmental Design, concedida pela ONG americana U.S. Green Building Council (USGBC), de acordo com os critérios de racionalização de recursos atendidos por um edifício.

Para isso, o projeto tem cuidados ambientais durante toda a obra. A construção sustentável envolve a diminuição dos impactos de ruído e de sujeira; destinação correta de entulho; reaproveitamento de resíduos; escolha de parceiros certificados nos seus segmentos; e a compra de materiais credenciados por órgãos ambientais, visando reuso e reciclagem.

O prédio foi projetado para aproveitar todos os recursos naturais disponíveis. Onde for possível serão utilizados iluminação e ventilação natural e aquecimento solar. Nos lugares inviáveis, será feito o uso de lâmpadas de LED ou tubular de alta eficiência e de aparelhos de ar condicionado modernos, que garantem conforto térmico, sem desperdícios.

Algumas soluções também foram tomadas para amenizar a absorção de calor e aumentar a umidade relativa do ar, como o uso de telhado verde na cobertura, com paisagismo adequado. A nova sede contará ainda com modernos sistemas de captação pluvial e tratamento de água, além de painéis solares. Estes diferenciais contribuem para o transbordo do Parque Nacional de Brasília.

O ponto forte da operação do prédio é o da Eficiência Energética. O edifício usará tecnologia de automação, com monitoramento por computador, para viabilizar o uso eficiente dos sistemas de elevadores, iluminação e ar condicionado. Todos os recursos implantados na construção, aliados ao correto uso, proporcionarão economia de energia elétrica média acima de 15%, sem abrir mão do conforto dos colaboradores, clientes e visitantes, além de beneficiar o meio ambiente.