Onco-Vida investe em touca que ajuda a prevenir perda de cabelo durante o tratamento quimioterápico

IMG_TOUCA4

Touca hipotérmica do Instituto Onco-Vida

Mesmo com os tratamentos cada vez mais eficazes para a cura do câncer, lidar com o diagnóstico é uma tarefa difícil. Quando esse tratamento necessita passar principalmente pela quimioterapia, a compreensão sobre os efeitos colaterais produz uma série de reações que passam pelo medo e ansiedade. Muitas vezes os pacientes reagem diferentemente ao mesmo efeito colateral. Especificamente, quando falamos sobre a queda de cabelos notamos diversas reações. Há pacientes que aceitam bem essa notícia e passam por todo o tratamento com tranquilidade fazendo uso de perucas, chapéus e lenços, porém há outros que se sentem muito atingidos com a perspectiva de ficarem “carecas” mesmo que temporariamente. Essa reação produz um impacto psicológico negativo para o enfrentamento da doença. Mas o efeito indesejado da perda dos fios muitas vezes pode ser evitado com o uso de uma touca gelada, a temperaturas abaixo de 30º C.

A oncologista Miriam Cristina da Silva, do Instituto Onco-Vida, em Brasília, explica que a touca hipotérmica é usada durante as sessões de tratamento e deve ser mantida em um freezer específico. “A touca deve ser usada com os cabelos umedecidos e precisa ser colocada 15 minutos antes da quimioterapia. Esse procedimento necessita de enfermagem treinada e dedicada, pois a touca deverá ser trocada a cada 30 ou 40 minutos durante todo o tempo da sessão de quimioterapia. No começo, pode ser desconfortável, porque o paciente pode sentir a cabeça levemente dormente por causa do frio, mas é uma opção válida para preservar as madeixas”.

A médica esclarece que a touca é eficaz tanto para mulheres como para homens. A explicação para a proteção contra a queda dos cabelos é que o frio faz com que os vasos sanguíneos da cabeça se contraiam, diminuindo o fluxo sanguíneo para essa região e fazendo com que uma menor quantidade de medicação chegue até a raiz do cabelo, bulbo capilar,  evitando, assim, os danos.

O interessante é que a touca pode ser usada em vários protocolos quimioterápicos, porém o tipo de medicação, o tempo total do tratamento, o tipo da neoplasia e o rigor da enfermagem na realização deste procedimento determinam a sua efetividade.

“A medicina tem sido assertiva no tratamento do câncer e a touca hipotérmica possibilita aos pacientes oncológicos mais motivação para enfrentar o tratamento e vencer a doença. Seguindo as orientações médicas, antes e depois do uso da touca, que estendem-se a cuidados gerais com os cabelos como diminuir a frequência de lavagem, dispensar secadores e usar pentes com dentes largos, os pacientes terão uma maior preservação dos fios. Após o término do tratamento quimioterápico, com a ajuda de especialistas da área, como dermatologistas especializados, o retorno dos cabelos saudáveis, bonitos e fortes ficará mais facilitado”, afirma Miriam Cristina da Silva.