HEPATITES ‘B’ E ‘C’ AFETAM 6 MILHÕES DE BRASILEIROS: SAIBA COMO PREVENIR E O TRATAMENTO

No Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais (28 de Julho) médico infectologista explica como acontece a transmissão e o tratamento

As hepatites virais têm acometido um número expressivo de brasileiros. Segundo estatísticas do Ministério da Saúde, 3 milhões de pessoas estão com vírus da hepatite C e não sabem, enquanto 3 milhões convivem com a hepatite B. No próximo 28 de julho, Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais, o médico infectologista do Instituto de Câncer de Brasília (ICB), Mário Biill, chama atenção para os riscos das doenças.  “São doenças silenciosas que permanecem assintomáticas por vários anos. A presença de sintomas e alterações laboratoriais geralmente indicam comprometimento das funções hepáticas”.

Dr. Mário Biill explica a razão pelo qual existem tantos brasileiros acometidos pelas doenças. “As formas de transmissão das hepatites são variadas, podendo ocorrer através da relação sexual desprotegida, compartilhamento de materiais e artigos contaminados”.

O médico esclarece que a transmissão da hepatite B se faz principalmente pela via sexual, sendo considerada uma doença sexualmente transmissível, mas também pode ocorrer pelo compartilhamento de agulhas, seringas, tatuagens, piercing, procedimentos odontológicos ou cirúrgicos. O sêmen, secreção vaginal e leite materno também são possíveis fontes de transmissão.

Em relação à hepatite C são considerados pessoas de risco para a infecção as que receberam transfusão de sangue ou hemoderivados antes de 1993, usuários de drogas injetáveis (cocaína, anabolizantes ou complexos vitamínicos), as que frequentam locais que não respeitam normas de biossegurança, como clínicas odontológicas, estúdios de tatuagem e de podologia.

No que se refere ao diagnóstico, pode ser feito através de exames laboratoriais simples. “A triagem é feita através de testes rápidos, que estão disponíveis em várias Unidades Básicas de Saúde. Esses testes não necessitam de estrutura complexa de laboratório e fornecem os resultados em 30 minutos. Se forem positivos, o paciente deverá ser encaminhado para um especialista para a confirmação do resultado. Vale ressaltar que o diagnóstico preciso e o tratamento precoce são essenciais para reduzir a incidência de complicações, como, por exemplo, cirrose e câncer hepático e aumentar as chances de cura”, finaliza Dr. Mário Biill.