Obstrução urológica e os homens com mais de 60 anos

A Obstrução Urológica é um problema de saúde mais comum do que se imagina em homens acima de 60 anos. É o que explica o médico urologista Heder Murari Borba.  “Na maioria das vezes a obstrução urológica é causada pela hiperplasia benigna da próstata. Isso ocorre quando a glândula cresce de maneira concêntrica ou se expande para os lados, o que ocasiona a dificuldade em urinar”, informa.

Como o principal sinal da disfunção é a dificuldade para urinar, a visita ao médico é de extrema importância para que sejam tomadas as medidas necessárias. “Normalmente o homem faz prensa abdominal com o objetivo de esvaziar a bexiga, mas se a próstata estiver muito grande, causando obstrução, a urina acaba não saindo. O acúmulo do líquido na bexiga pode desencadear o aumento da pressão intra-vesical, sangramento, infecções, cálculos e lesões nos rins. Por isso, a indicação é que seja feita, no mínimo, uma visita anual  ao médico para evitar surpresas indesejáveis”, destaca Dr. Heder Murari.

O especialista elucida que a ida ao urologista para que seja detectado um possível crescimento precoce da próstata, deve ser a partir dos 45 anos. “Quando mais cedo for diagnosticado alguma disfunção, melhores são os tratamentos. O que acontece é que muitos homens chegam ao consultório quando o problema já está avançado, inclusive em quadro de câncer de próstata, que é o crescimento maligno”, compartilha.

Novembro Azul – No mês de combate ao câncer de próstata, o Novembro Azul, Dr. Heder Borba enfatiza que o problema traz uma reflexão para que os homens façam exames de rotina. Para o diagnóstico do câncer, o médico solicita o ultrassom e o PSA, que servem para evidenciar alterações na próstata. Também é importante a realização do toque retal, a fim de ampliar as possibilidades de diagnóstico da doença. “Evito fazer o toque retal na primeira consulta para que os pacientes, após obterem uma melhor explicação do que pode estar acontecendo, fiquem mais tranquilos quanto ao exame, já alguns ainda são culturalmente resistentes ao procedimento”, justifica.

Dr. Heder chama atenção para dados sobre o crescimento neoplásico da próstata. “Sabe-se que no Brasil, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens, atrás apenas do câncer de pele não-melanoma. Em valores absolutos, e considerando ambos os sexos, é o quarto tipo mais comum e o segundo mais incidente. A taxa de é maior em países desenvolvidos se comparado aos países em desenvolvimento, e mais do que qualquer outro tipo, é considerado um câncer da terceira idade, já que cerca de três quartos dos casos no mundo ocorrem a partir dos 65 anos”.

“Com o aumento da qualidade de vida, do desenvolvimento técnico científico, estamos vivendo mais, por isso é importante reforçarmos que o homem deve ir com frequência ao urologista. Além de evitar complicações futuras, os tratamentos precoces são em maioria curativos”, finaliza Dr. Heder Murari Borba.