FertilCare

MATERNIDADE APÓS OS 40: ENTENDA COMO TER UMA GESTAÇÃO TARDIA COM SEGURANÇA

 

Ivete Sangalo, Luciana Gimenez, Karina Bacchi, dentre tantas outras famosas brasileiras, engrossam o coro da maternidade após os 40 anos. Adeptas às técnicas de reprodução humana, elas puderam realizar o sonho de serem mães em uma idade mais avançada. Isso porque, a partir dos 35, as mulheres começam a apresentar uma diminuição gradativa da fertilidade e da qualidade dos seus óvulos.

A médica geneticista Graziela Antonialli alerta para os riscos de uma gravidez nessa fase da vida, que incluem hipertensão gestacional e pré-eclâmpsia, além de diabetes materna e parto prematuro. “Existe também o risco aumentado para malformações fetais, principalmente relacionado ao aumento das anomalias cromossômicas, como a síndrome de Down, a síndrome de Turner, e as síndromes de Patau e de Edwards, que são as mais conhecidas. Por isso, se for necessário postergar a gravidez, deve-se consultar um médico para que possam receber as informações necessárias para uma gestação mais segura”, informa a especialista, que compõe o corpo clínico da Fertilcare, em Brasília.

As mulheres que pretendem recorrer às técnicas de reprodução humana receberão um estímulo hormonal, que permite que mais de um óvulo amadureça em um mesmo ciclo. Após esse primeiro passo, e com controles ultrassonográficos, os óvulos são coletados. Se for do desejo do casal, pode ser feita uma triagem genética para selecionar os embriões considerados cromossomicamente normais. A partir daí, podem ser transferidos para o útero materno os que foram selecionados.

Já as que vislumbram serem mães no futuro, podem preservar a fertilidade através do congelamento de óvulos. Eles poderão ser utilizados no momento que a mulher achar oportuno, mas a orientação é que a gestação ocorra antes dos 50 anos. Porém, em situações de exceção, justificada pelo médico e conscientes dos riscos, mulheres mais velhas podem gestar, segundo nova norma do Conselho Federal de Medicina”.

Outro benefício do congelamento de óvulos é para as mulheres que irão passar por tratamento de câncer. Dra. Graziela Antonialli esclarece que a quimioterapia e a radioterapia podem causar a infertilidade, por serem tratamentos agressivos que prejudicam as células reprodutivas. Assim, o indicado é que os óvulos sejam congelados antes de se iniciar o uso de medicações para a cura do câncer.

Existem também as pacientes com risco de ma falência ovariana precoce, devido a um histórico familiar de menopausa em idade jovem ou quando os exames ginecológicos apontam para o possível problema. Nestes casos, o congelamento de óvulos pode preservar o tempo de fertilidade dessas mulheres, permitindo a realização do sonho da gravidez.

Produção Independente – As que pretendem ter filhos de forma independente, a exemplo de Karina Bacchi, podem recorrer aos bancos de sêmen. A Dra. Graziela Antonialli, explica que em Brasília, a clínica Fertilcare, dispõe desse serviço. Ela detalha que antes da coleta dos gametas, os doadores passam por exames de saúde e realizam o cariótipo para afastar anomalias cromossômicas, além de preencherem um cadastro onde são coletados seus dados pessoais, como cor de pele, altura, peso, principais características físicas, hábitos de vida e dados da família, como doenças mais comuns, além das características físicas de pais e avós.

“Todo esse cuidado é necessário para garantir a saúde da mulher e do bebê. Quando se opta pela utilização de um sêmen doado, ela poderá fazer a escolha entre todos os doadores daquele banco, de acordo com as características que achar mais importantes. Vale reforçar que as técnicas de reprodução humana podem auxiliar na realização de sonhos de muitas mulheres que adiam a maternidade, seja por razões profissionais, emocionais ou de saúde. O mais importante é que seja procurado um centro de reprodução humana de referência, de acordo com as normas de Vigilância Sanitária e do CFM”, indica.

CASAIS DO DF RECEBEM TRATAMENTO ESPECIALIZADO PARA A INFERTILIDADE

Mais de 100 pessoas já passaram pelo Projeto Realizar Sonhos, que está na 6ª edição, e abre novas inscrições a partir do dia 16 de abril

A pequena Melissa realizou há 1 mês o sonho da maternidade da Assistente Jurídica Danniella Karla e de paternidade do arquiteto Vladimir Mourão, que moram em Taguatinga, no Distrito Federal. Mas até receber a bebê nos braços, o casal passou por momentos difíceis, mas que foram solucionados por um time de médicos especializados em reprodução humana, na capital federal.

“Vi um cartaz sobre o Projeto Realizar Sonhos, que beneficia pessoas com problemas de infertilidade. Me inscrevi sem esperanças, mas consegui ser selecionada. Foi um processo muito importante, porque descobri ao longo do tratamento que havia um cisto no ovário e que o meu esposo tinha baixa contagem de espermatozoides, devido a indicação de uso testosterona de um médico”, lembra.

O Projeto o qual a brasiliense se refere, é capitaneado pela clínica Fertilcare, em Brasília. Em sua 6ª Edição, já ajudou mais de 100 casais a construir suas famílias. A diretora da clínica, Dra. Beatriz de Mattos, explica que as inscrições serão abertas no próximo dia 16 de abril e vão até o dia 20 de maio através do site www.fertilcare.com.br.

De acordo com a embriologista, serão escolhidos vinte casais para o tratamento de infertilidade com custo reduzido em cerca de 55%. “Conseguimos esse desconto para beneficiar quem sempre sonhou ter filhos, mas por algum motivo tem dificuldades na concepção. Por isso, contamos com o apoio de fornecedores de insumos e medicação, além da ausência de honorários médicos, que tornam o tratamento mais acessível”, esclarece.

A especialista informa que para participar é necessário estar dentro dos requisitos de saúde recomendados no projeto Realizar Sonhos, os quais foram ampliados nesta edição para atender novos casais. “Promoveremos uma palestra pública sobre fertilização no dia 7 de maio, segunda-feira, às 19h30, na clínica Fertilcare, que fica na 915 Sul. A cada ciclo do Realizar Sonhos nos emocionamos. Acompanhamos os nascimentos dos bebês e percebemos que é a concretização de um objetivo de vida de muita gente.  Nos motiva a estarmos sempre relançando o Projeto”, compartilha Dra. Beatriz de Mattos.

 

:: SERVIÇO

6ª Edição do Projeto Realizar Sonhos

Inscrições de 16 de abril a 20 de maio através do site www.fertilcare.com.br

Palestra Pública sobre Fertilização: 7 de maio às 19h30 | clínica Fertilcare | SGAS 915, Edifício Advance 1 – Asa Sul | Brasília

Anúncio de barriga de aluguel nas redes sociais: prática crescente pode ser considerada crime no Brasil

A tendência de anunciar nas redes sociais a barriga de aluguel – ou gestação por substituição – com fins lucrativos tem sido crescente. A prática, diferente de países como Estados Unidos, Grécia e Rússia, pode ser considerada crime no Brasil, embora poucas pessoas levem em consideração e tenham exposto a necessidade de gerar filhos por meio de transações financeiras. Para se ter uma ideia, existem grupos no Facebook que somam 3,3 mil membros com anúncios de R$ 15 mil a mais de R$ 100 mil, além de despesas com a gravidez.

Diretora da clínica de Reprodução Humana Fertilcare, em Brasília, a Dra. Carla Martins reprova veemente a realização desse tipo de negociata. “Sabemos que muitos querem realizar o sonho de ter filhos, mas ilegalidade é um risco para ambos. É preciso resguardar a saúde da gestante e evitar problemas de guarda da criança no futuro. Por isso o Conselho Federal de Medicina (CFM) lançou em novembro do ano passado uma resolução que proíbe esse tipo de conduta”, explica.

A médica se refere à resolução nº 2.168/2017, que é uma norma administrativa que elucida que a cedente temporária do útero deve pertencer à família de um dos parceiros em parentesco consanguíneo até o quarto grau, sendo o de primeiro grau mãe e filha; de segundo avó e irmã; de terceiro tia e sobrinha e de quarto grau, prima.

Mesmo com a norma do CFM, existem os que burlam e vão até clínicas de reprodução humana com o objetivo de dar andamento às técnicas de reprodução assistida. “Cabe ao profissional avaliar o grau de parentalidade, para certificar que a inexistência comercial”, ressalta Dra. Carla Martins.

A advogada Thais Maia, especialista e mestre em Bioética e Saúde Pública, esclarece que a barriga de aluguel pode resultar em penas de três a oito anos de prisão, além de multa. As punições são aplicáveis aos pais ou à mulher que gerou a criança e ao profissional de saúde que realizou o procedimento.

Por isso Thais reforça a importância de uma avaliação legal, seguindo os parâmetros estabelecidos pelo grau de parentesco. “Demais casos de cessão temporária do útero estão sujeitos à autorização do CFM” diz ela, que preside a Comissão de Bioética e Biodireito da Associação Brasileira de advogados. “Cabe destacar que a publicidade enganosa nas redes sociais também pode ser tipificada como crime, pois anúncios ilegais podem incitar ao estelionato”, finaliza.

SONHA TER FILHOS? PROJETO BENEFICIARÁ 20 CASAIS DO DF

Quem planeja em 2018 ter filhos, mas dependente da Fertilização In Vitro para engravidar, pode comemorar. A clínica Fertilcare, mais uma vez, através do projeto Realizar Sonhos, beneficiará 20 casais do Distrito Federal com o. Na sua 5ª edição, a iniciativa possibilitou que dezenas de pessoas pudessem realizar o sonho de serem pais.

De acordo com a embriologista e diretora da Fertilcare, Dra. Beatriz de Mattos, como no geral o custo do tratamento para fertilização é alto, o objetivo é fazer com que os casais possam ser submetidos às técnicas avançadas com valor reduzido em cerca de 50%. “A Fertilização pelo Realizar Sonhos é igualmente eficaz ao tratamento regular, a única diferença é que nesse projeto contamos com o apoio dos fornecedores de insumos e medicação, além da ausência de honorários médicos, que tornam o tratamento mais acessível”, explica.

A especialista esclarece que para participar é necessário que os casais estejam dentro dos requisitos de saúde recomendados no projeto Realizar Sonhos, os quais foram ampliados nesta edição para atender novos casais. A inscrição para a seleção será de 20 de novembro a 25 de dezembro através do preenchimento de um formulário online no site www.fertilcare.com.br. “Convocaremos 40 casais inscritos para uma consulta médica gratuita, dos quais 20 serão selecionados”, antecipa Dra. Beatriz de Mattos.

A embriologista informa que o tratamento acontecerá no início de próximo ano. “É uma oportunidade para quem planeja ter filhos em 2018. A missão deste projeto bienal é justamente  de ajudar na realização deste sonho, mas que por diversos motivos ainda não foi concretizada”, afirma Dra. Beatriz de Mattos.

:: Serviço

5ª Edição do projeto Realizar Sonhos

Seleção de 20 casais do DF para o Tratamento de Fertilização In Vitro

Inscrições até o dia 25 de dezembro através do site www.fertilcare.com.br

CFM define novas regras para Reprodução Humana no Brasil

 

O Conselho Federal de Medicina (CFM) divulgou na quinta-feira, 9 de novembro, novas regras para utilização das técnicas de reprodução humana no Brasil. Através da Resolução CFM nº 2.168/2017, o CFM editou regras sobre gestação compartilhada, de substituição e descarte de embriões.

Com a nova Resolução pessoas sem problemas reprodutivos diagnosticados podem recorrer a técnicas disponíveis de reprodução assistida, como o congelamento de gametas, embriões e tecidos germinativos.

Dentre os destaques introduzidos na norma, o CFM ainda estendeu a possibilidade de cessão temporária do útero para familiares em grau de parentesco consanguíneo descendente. Antes, de primeiro a quarto graus, somente mãe, avó, irmã, tia e prima poderiam participar do processo de gestação de substituição. Com a alteração, filha e sobrinha também podem ceder temporariamente seus úteros. Pessoas solteiras também passam a ter direito a recorrer a cessão temporária de útero.

O diretor da clínica Fertilcare, Dr. Frederico Corrêa, avalia como positiva as atualizações nas normas de reprodução humana, mas chama atenção para a importância da avaliação com o médico antes de começar o tratamento de reprodução assistida, fundamental para mulheres com idade próxima a 50 anos.  “A mulher deve ser saudável e se ela tem um problema de saúde mais grave, que possa levar a um risco, no caso da gestação, a gente contraindica. Então, ela deve passar por uma avaliação clínica, com vários exames para que se possa identificar se  pode ficar grávida”, enfatiza.

 

 

Geneticista explica quais os exames que ajudam a detectar se a pessoa terá câncer no futuro

O diagnóstico tardio do câncer é um dos fatores que pode reduzir as chances de cura. A boa notícia é que alguns exames ajudam a detectar os casos em que há um risco aumentado de desenvolver a doença. É o que explica a geneticista Giselle Maria Adjuto, do Instituto de Câncer de Brasília (ICB), que na sua prática clínica faz o aconselhamento genético dos pacientes e das famílias que apresentam predisposição a desenvolverem doenças específicas.

A médica esclarece que através de exames de sangue é possível detectar genes mutados e correlacionar com tipos de câncer. Para que sejam solicitados os exames, a especialista faz uma consulta avaliando a história familiar, para saber se a pessoa tem predisposição a devolver um determinado tipo de câncer.

Com os resultados dos exames, Dra. Giselle Maria Adjuto avalia os casos de síndromes de predisposição ao câncer e de câncer hereditário, realiza o aconselhamento genético levando em consideração o risco e orienta em relação ao rastreio e diagnóstico precoce. A mudança no estilo de vida é fundamental nestes casos com a prática de atividade física, dieta equilibrada, a não exposição à radiação e ao tabagismo. “Caso a doença se desenvolva, o diagnóstico precoce possibilita maior chance de cura”, afirma.

Futuro Promissor – Com a evolução das técnicas da medicina, os testes genéticos têm se mostrados promissores na identificação de pacientes que apresentam risco aumentado de desenvolver o câncer. Algumas pesquisas sugerem que em breve será possível identificar as mutações genéticas e correlaciona-las com o tratamento específico para cada pessoa, incluindo a terapia medicamentosa e nutricional.

Dra. Giselle Maria Adjuto reforça que já é possível realizar vários testes genéticos, como, por exemplo, os que pesquisam as mutações nos genes BRCA1 e BRCA2, ligados ao câncer de mama, ovário e próstata, permitindo o aconselhamento genético. “Mas com a evolução dos estudos genéticos, a expectativa é que cada vez mais os tratamentos individualizados possam ser aplicados tornando-se essenciais para a cura dos mais diversos tipos de câncer”.

Quem deseja marcar uma consulta com médica Giselle Maria Adjuto basta agendar pelo site do Instituto de Câncer de Brasília. Basta acessar www.institutodecancer.com.br.

FertilCare oferece Vivência de Verão na área de Reprodução Humana

Alunos universitários que desejam conhecer a rotina de um embriologista na área de Reprodução Humana têm a oportunidade, neste verão, na época de férias, de ter esta vivência profissional. O Instituto de Ensino e Pesquisa do Centro de Reprodução Humana FertilCare (IEP-F) oferece duas vagas para quem deseja conhecer os procedimentos laboratoriais. As inscrições podem ser feitas até o dia 3 de fevereiro através do e-mail bia.fertilcare@gmail.com.

A Vivência de Verão possui duas modalidades: Micro e Mini Vivência. A primeira é dedicada a uma semana (de 6 a 10 de fevereiro), de segunda a sexta-feira, das 7h às 17h e tem o investimento de R$ 1.200 à vista, podendo ser parcelado em duas vezes de R$ 650. A Mini Vivência segue a mesma carga horária diária, com duração duas semanas de imersão (de 17 A 24 de fevereiro) com investimento de R$ 2.100 à vista ou três parcelas de R$ 750.

De acordo com a diretora do FertilCare, Beatriz de Mattos, esta é uma ocasião em que se poderá acompanhar técnicas utilizadas no Laboratório de Andrologia, Fertilização in vitro e Criopreservação. “O objetivo é que estudantes universitários de Biologia ou Biomedicina, Biólogos e Biomédicos recém-formados  vivenciem a rotina do profissional especializado em embriologia como forma de obter, na prática, o conhecimento de como são feitos os procedimentos. Além disso, poderão ter acesso a discussão de casos, artigos científicos atuais e legislação. Por isso, para a seleção, vamos fazer uma análise detalhada do currículo e isso inclui a exposição de motivos de interesse pela Vivência”, detalha.

Ao fim da Vivência de Verão em Reprodução Humana Assistida os participantes receberão certificado – desde que cumpram a carga horária da Vivência e adquiram o conhecimento teórico e prático no período a que se destina.

 

:: Serviço

Vivência de Verão na Área de Reprodução Humana Assistida

Inscrições: Até o dia 3 de fevereiro

Início:  Micro Vivência: 6 de fevereiro e Mini Vivência: 17 de fevereiro

Local: Centro de Reprodução Humana FertilCare | SGAS quadra 915 Subsolo 2 sala 001 Ed. Advance – Asa Sul | Brasília – DF

Telefone: (61) 3248-0101

Tutores: Beatriz de Mattos – Bióloga/ Diretora

Eduardo Schuchowsky – Biomédico

Olimpíadas RIO 2016: Entenda como funciona o congelamento de sêmen, técnica que os atletas têm aderido por causa do Zika vírus

Atletas e turistas que pretendem participar dos Jogos Olímpicos Rio 2016, em agosto, estão congelando o sêmen antes da viagem ao Brasil. Mesmo com as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) para evitar o contágio do vírus, como não frequentar locais sem saneamento básico e não fazer sexo desprotegido, existem os que têm investido nessa prática de congelamento seminal. É o caso do jogador de basquete espanho Pau Gasol, o campeão britânico de salto em distância, Greg Rutherford e o treinador de vôlei John Speraw, dos EUA.

IMG_3249

Beatriz de Mattos, embriologista e diretora do Centro de Reprodução Humana FertilCare

A embriologista Beatriz de Mattos, do Centro de Reprodução Humana FertilCare, em Brasília, explica que a OMS já relatou que, pelos jogos serem realizados no inverno, o tempo seco e frio reduz habitualmente a população do mosquito Aedes aegypti, transmissor do Zika. Ela esclarece que a opção de congelamento do sêmen antes de embarcar no Brasil é preventiva, porém desnecessária visto que esse vírus não se comporta como o HIV. “Ao retornar para seus países de origem, os atletas poderiam adotar o uso de preservativo nas relações sexuais ao longo de oito semanas ou durante a fase gestacional, caso suas parceiras já estejam grávidas”, afirma. No entanto, se o atleta apresentar sintomas positivos para o Zika vírus, a OMS orienta o período de seis meses.

Mesmo assim, quem prefere aderir à técnica, a especialista explica que é altamente segura e eficaz. Para o procedimento, após a coleta, é feita análise macroscópica e microscópica do sêmen. Depois, é necessário diluí-lo com crioprotetor (substância que protege os espermatozoides em temperaturas de criogenia) e manter em vapor de nitrogênio líquido antes de ser mergulhado nesse nitrogênio. O material é armazenado em botijões a uma temperatura de -196ºC.

Além disso, o indivíduo necessita realizar uma triagem sorológica obrigatória prévia ao congelamento, dentre eles, a pesquisa do Zika. A embriologista enfatiza que após esses testes, o sêmen pode ser utilizado em técnicas de reprodução assistida. “É importante ressaltar que não há um tempo máximo de armazenamento deste material. Existem relatos de crianças nascidas saudáveis proveniente de sêmen criopreservado por mais de 10 anos”.

Para quem tem dúvida sobre a presença do Zika no sêmen, Beatriz destaca que o tempo de permanência do vírus no sêmen é aumentada em relação à corrente sanguínea, por isso a necessidade do uso de preservativo por oito semanas até seis meses. “Por medida de segurança, a Anvisa adota o período de 180 dias para liberação da amostra de doadores de sêmen”, diz Dra. Beatriz de Mattos.

Dentre os testes laboratoriais, o mais preciso e indicado para avaliar a ausência ou presença do Zika vírus é o estudo por biologia molecular no sêmen (PCR), no qual o material genético do vírus será amplificado e detectado. No entanto, como em alguns casos o contágio pelo Zika é assintomático, Dra. Beatriz de Mattos acredita que pode ser prudente que os atletas, ao retornarem para seus países, realizem o teste sorológico preventivo para o Zika IgM (detecção da fase aguda) e IgG (detecção de ter tido contato com o vírus). “No Brasil, a rede pública de saúde oferece testes gratuitos para um grupo restrito de pacientes sintomáticos e grávidas. Mas já existe o teste rápido que embora possa trazer um resultado duvidoso, é válido  pela rapidez e baixo custo”, finaliza.

FertilCare celebra um ano de sucesso em Brasília

O Centro de Reprodução Humana FertilCare reuniu, na noite dessa terça-feira, 28 de junho, médicos, amigos, autoridades na área de saúde no auditório do Centro Clínico Advance, em Brasília, para comemorar o primeiro ano de atividades da clínica. Os convidados também puderam conhecer as instalações do Centro, um dos mais modernos do país.

Durante a solenidade de abertura, o diretor do FertilCare, Frederico Corrêa falou sobre a equipe multidisciplinar que é composta por médicos com especialização em reprodução humana e assistida, e que trabalham há muitos anos com a preservação da fertilidade e tratamento dos casais inférteis. Frederico Corrêa citou os embriologistas que têm ampla experiência em técnicas de reprodução assistida, além de andrologistas, ultrassonografistas, infectologistas, psicóloga e enfermeiras treinadas e habilitadas na abordagem da infertilidade conjugal. Foi apresentado um vídeo institucional mostrando toda a modernidade da clínica.

Em seguida, Carla Martins, que também dirige o Centro de Reprodução Humana, agradeceu a todos os convidados e falou sobre o recém-lançado projeto “Realizar Sonhos”, que possibilita aos casais inférteis do Distrito Federal assistência ao tratamento de fertilização in vitro, em função do elevado custo do procedimento.

A também diretora do FertilCare, Luciana Potiguara, disse que trata-se da realização de um sonho trabalhar com reprodução assistida. A médica falou sobre encontrar pessoas maravilhosas para compor a equipe, o que torna um atendimento de excelência para os pacientes. Ela também lembrou da recente ação social que o FertilCare lançou para oferecer às mulheres do Distrito Federal o uso de método contraceptivo de longa duração, eficaz e reversível. O método, que tem custo elevado no mercado, foi concedido gratuitamente.

Beatriz de Mattos, que compõe a direção do FertilCare, disse que a clínica é o resultado de muito trabalho e esforço pessoal e conjunto dos diretores. Já Josenice Araújo, que divide também a direção do FertilCare, falou sobre os planos de idealização do Centro de Reprodução Humana. A médica destacou as viagens de atualização profissional, sempre com o objetivo de trazer as principais novidades de saúde e assistência integral aos pacientes.

Por fim, Frederico Corrêa reforçou que há vinte anos Brasília não tinha um novo cento de reprodução assistida. “Estamos aqui lutando para oferecer cada vez mais o melhor, com qualidade e eficácia para os nossos pacientes”, disse. Os convidados brindaram com os diretores do FertilCare em um coquetel assinado pelo Buffet da Corte ao som de voz e violão do Cantor Di Brasil, com o melhor na música popular brasileira.

 

FertilCare lança projeto que beneficiará 20 casais do DF com problemas de infertilidade

 

equipe

Equipe do FertilCare

Quem deseja ter filhos, mas têm problemas de infertilidade, agora poderá ter uma chance única para realizar esse sonho. Como o custo do tratamento para fertilização é alto, o Centro de Reprodução Humana FertilCare, em Brasília, lança o projeto “Realizar Sonhos”, que beneficiará 20 casais do Distrito Federal para o tratamento de fertilização in vitro.

“Para participar é necessário que os casais estejam dentro dos requisitos recomendados de saúde do projeto ‘Realizar Sonhos’. Caso estejam aptos, deve-se preencher o formulário para o envio da documentação necessária”, explica Beatriz de Mattos Silva, embriologista e diretora do FertilCare.

A inscrição para a seleção deve ser até o próximo dia 23 maio. Para tirar dúvidas sobre o tratamento, a equipe do FertilCare promoverá nos dias 5 e 9 de maio uma palestra aberta de esclarecimento, no Centro Clínico Advance, em Brasília.

Vale destacar que o FertilCare dispõe das mais modernas técnicas de reprodução humana e assistência integral à saúde, e entende que o sonho em completar uma família, precisa e deve ser realizado.

Informações adicionais sobre o projeto podem ser adquiridas no site www.fertilcare.com.br/realizarsonhos.