Zika vírus

Olimpíadas RIO 2016: Entenda como funciona o congelamento de sêmen, técnica que os atletas têm aderido por causa do Zika vírus

Atletas e turistas que pretendem participar dos Jogos Olímpicos Rio 2016, em agosto, estão congelando o sêmen antes da viagem ao Brasil. Mesmo com as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) para evitar o contágio do vírus, como não frequentar locais sem saneamento básico e não fazer sexo desprotegido, existem os que têm investido nessa prática de congelamento seminal. É o caso do jogador de basquete espanho Pau Gasol, o campeão britânico de salto em distância, Greg Rutherford e o treinador de vôlei John Speraw, dos EUA.

IMG_3249

Beatriz de Mattos, embriologista e diretora do Centro de Reprodução Humana FertilCare

A embriologista Beatriz de Mattos, do Centro de Reprodução Humana FertilCare, em Brasília, explica que a OMS já relatou que, pelos jogos serem realizados no inverno, o tempo seco e frio reduz habitualmente a população do mosquito Aedes aegypti, transmissor do Zika. Ela esclarece que a opção de congelamento do sêmen antes de embarcar no Brasil é preventiva, porém desnecessária visto que esse vírus não se comporta como o HIV. “Ao retornar para seus países de origem, os atletas poderiam adotar o uso de preservativo nas relações sexuais ao longo de oito semanas ou durante a fase gestacional, caso suas parceiras já estejam grávidas”, afirma. No entanto, se o atleta apresentar sintomas positivos para o Zika vírus, a OMS orienta o período de seis meses.

Mesmo assim, quem prefere aderir à técnica, a especialista explica que é altamente segura e eficaz. Para o procedimento, após a coleta, é feita análise macroscópica e microscópica do sêmen. Depois, é necessário diluí-lo com crioprotetor (substância que protege os espermatozoides em temperaturas de criogenia) e manter em vapor de nitrogênio líquido antes de ser mergulhado nesse nitrogênio. O material é armazenado em botijões a uma temperatura de -196ºC.

Além disso, o indivíduo necessita realizar uma triagem sorológica obrigatória prévia ao congelamento, dentre eles, a pesquisa do Zika. A embriologista enfatiza que após esses testes, o sêmen pode ser utilizado em técnicas de reprodução assistida. “É importante ressaltar que não há um tempo máximo de armazenamento deste material. Existem relatos de crianças nascidas saudáveis proveniente de sêmen criopreservado por mais de 10 anos”.

Para quem tem dúvida sobre a presença do Zika no sêmen, Beatriz destaca que o tempo de permanência do vírus no sêmen é aumentada em relação à corrente sanguínea, por isso a necessidade do uso de preservativo por oito semanas até seis meses. “Por medida de segurança, a Anvisa adota o período de 180 dias para liberação da amostra de doadores de sêmen”, diz Dra. Beatriz de Mattos.

Dentre os testes laboratoriais, o mais preciso e indicado para avaliar a ausência ou presença do Zika vírus é o estudo por biologia molecular no sêmen (PCR), no qual o material genético do vírus será amplificado e detectado. No entanto, como em alguns casos o contágio pelo Zika é assintomático, Dra. Beatriz de Mattos acredita que pode ser prudente que os atletas, ao retornarem para seus países, realizem o teste sorológico preventivo para o Zika IgM (detecção da fase aguda) e IgG (detecção de ter tido contato com o vírus). “No Brasil, a rede pública de saúde oferece testes gratuitos para um grupo restrito de pacientes sintomáticos e grávidas. Mas já existe o teste rápido que embora possa trazer um resultado duvidoso, é válido  pela rapidez e baixo custo”, finaliza.

Ministério da Saúde vai lançar aplicativo para ajudar a identificar o Zika vírus

O Ministério da Saúde vai lançar um aplicativo que ajuda o usuário a identificar se ele tem sintomas de Zika e dengue. O sistema é semelhante ao que foi lançado pelo governo ano passado, no período da Copa do Mundo.

A ideia inicial era fazer uma adaptação do programa para a Olimpíada, mas, diante do aumento de casos de Zika e da epidemia de microcefalia identificada no país, o projeto foi apressado e dará ênfase a essas duas infecções, ambas transmitidas pela picada do Aedes aegypti infectado.

No aplicativo, o usuário deverá responder a uma série de perguntas, sobretudo relacionadas aos sintomas de doenças: se ele teve febre baixa, dores no corpo, dores na articulação ou abdominais, além de manchas e coceira pelo corpo. De acordo com respostas, ele será informado sobre a probabilidade de estar com uma das infecções.

Mais do que dar informação para o usuário, o aplicativo é considerado extremamente útil para a vigilância sanitária. As informações serão processadas pelo Ministério da Saúde. Caso haja um número expressivo de pessoas com determinados sintomas em uma região, num determinado período de tempo, serviços de vigilância são acionados.

Tem dúvidas sobre a proliferação do Zika vírus no Brasil? Dra. Luciana Potiguara responde

Diante dos casos de microcefalia no Brasil, em razão do Zika Vírus, a diretora do Centro de Reprodução Humana Fertilcare, Dra. Luciana Potiguara esclarece que a doença é preocupante e as gestantes devem evitar viagens para a Região Nordeste, onde se tem aumentado a incidência da doença no Brasil. Confira:1 – Essa rápida disseminação da doença é preocupante? As mulheres devem evitar de viajar para o Nordeste?A rápida proliferação é preocupante por causa do aumento da incidência de doenças neurológicas causadas pelo vírus, principalmente nos recém nascidos, como a microcefalia. Recomenda-se evitar as viagens para a região Nordeste, local com alta incidência da doença em nosso país.2 – O que deve ser feito de imediato ao se identificar os sintomas do Zika?

As pessoas devem procurar assistência médica, a fim de que sejam tomadas as providências cabíveis, como a prescrição de medicamentos para dor e febre, hidratação e alimentação rica em minerais e vitaminas.

3 – A forma de transmissão é idêntica da dengue? Tem outros tipos de contágio? 

A forma de transmissão é idêntica à da dengue, ou seja, através da picada do mosquito Aedes Aegypti. Não há outras formas conhecidas de transmissão da doença.

4 – Como identificar se o vírus é o Zika, Dengue ou Chikungunya?

Através do quadro clínico com sintomas da Dengue são dor de cabeça e no fundo dos olhos muito intensa, manchas vermelhas na pele, febre entre 39 e 40º com duração média de 7 dias. O Zika vírus tem sintomas de olhos muito vermelhos e lacrimejantes, manchas vermelhas na pele e febre entre 37 e 38 graus com duração de 2 a 7 dias. Já a febre chikungunya com dor repentina nas articulações dos pés, mãos, dedos, tornozelos e punhos, coceira em todo o corpo ou nas palmas das mãos e planta dos pés e febre de 39º entre 8 e 12 dias.

5 – O que deve ser evitado durante o tratamento do Zika?

Deve ser evitado o ácido acetilsalicílico.

6 – Quais as medidas de prevenção?

Medidas de prevenção são evitar acúmulo de água parada, o lixo deve ser bem acondicionado, usar repelente que contenha Icaridina que tem um tempo de ação estimado de 5 a 10 horas e (DEET) 10 a 50%, roupas com mangas compridas, calças e meias, evitar viagem para locais com alta incidência da doença.

 7 – As mulheres gestantes podem saber a partir de que mês (Através do ultrassom) que a criança tem microcefalia?

O ultrassom morfológico do 1º trimestre que deve ser realizado de 11 até 13 semanas e 6 dias e, do 2º trimestre, entre 20 – 24 semanas são exames indicados para avaliação e diagnóstico de alterações da anatomia fetal.

FEBRASGO lança campanha em redes sociais sobre o Zika vírus

De acordo com dados do Ministério da Saúde, várias pessoas têm sido acometidas com o Zika Vírus. Para esclarecer sobre o assunto, a FEBRASGO lançou na sua fanpage (www.facebook.com/febrasgo) uma Campanha informativa sobre o assunto. Chamada de #SemZika, a Campanha tem como objetivo tirar a dúvida de médicos e a sociedade, para lidar corretamente com o problema. A médica Lucila Nagata –  membro da Comissão de Parto, Aborto e Puerpério da FEBRASGO responde abaixo algumas perguntas sobre a doença. Confira:

Como surgiu o Zika Vírus no Brasil?

Segundo um boletim epidemiológico do Ministério da Saúde, em fevereiro de 2015, começaram a surgir no Brasil casos que depois foram atribuídos à doença.

Essa rápida disseminação da doença é preocupante?

Sim, porque nas regiões Norte e Nordeste está aumentando muito a incidência da microcefalia. Além disso, dados do Ministério da Saúde mostram que que o número de casos malformação congênita cerebral aumentou para 1.248 no país e já atinge 13 Estados.

O que deve ser feito de imediato ao se identificar os sintomas de Zika?

É uma virose. Ainda não existe um tratamento, e os sintomas são parecidos com o da dengue, embora menos agressivos. 70% a 80% as pessoas são assintomáticas.

A forma de transmissão é idêntica da dengue? Tem outros tipos de contágio? 

 A transmissão é feita pelo mosquito Aeges Aegypti, o mesmo mosquito que transmite a dengue.

A doença tem tipos de classificação?

Não tem. Os sintomas vão embora de três a sete dias. Trata-se de uma doença muito sutil

 

Como identificar se o vírus é o Zika, Dengue ou Chikungunya?

É por exclusão de sintomas. Não existe no Brasil ainda nenhum exame especifico ou sorologia.

Quais os perigos que a doença pode causar a gestantes? É verdade que pode causar microcefalia no bebê?

Má formação fetal grave – microcefalia. O bebe nasce com a cabeça pequena, com o perímetro cefálico menor do que os 33 centímetros considerados normais. Além de trazer risco de morte, a condição pode ter sequelas graves para os bebês que sobrevivem, como dificuldades psicomotoras (no andar e no falar) e cognitivas (como retardo mental).

Quais medidas os governantes estão adotando para evitar epidemias?

Tentar controlar os lugares onde tem o foco do mosquito. Orientar a população para não acumular água parada – as mesmas medidas da dengue.

 O que deve ser evitado durante o tratamento da Zika?

A medicação é feita por analgésico e os cuidados devem ser os mesmos para não cortar os efeitos do medicamento.

Quais as medidas de prevenção?

Não acumule água parada para evitar a proliferação do mosquito Aedes aegypti;

–      Use repelentes diariamente;

–      Coloque telas protetoras em janelas e portas de casa;

–      Sempre que possível use roupas que cubram os braços e pernas.